ASN logo
Last updated: 6 December 2019
Status:Final
Date:Monday 28 December 1998
Time:08:47
Type:Silhouette image of generic E145 model; specific model in this crash may look slightly different
Embraer EMB-145ER (ERJ-145ER)
Operator:Rio Sul Serviços Aéreos Regionais
Registration: PT-SPE
C/n / msn: 145032
First flight: 1997
Engines: 2 Allison AE3007A
Crew:Fatalities: 0 / Occupants: 4
Passengers:Fatalities: 0 / Occupants: 36
Total:Fatalities: 0 / Occupants: 40
Aircraft damage: Damaged beyond repair
Location:Curitiba-Afonso Pena Airport, PR (CWB) (   Brazil)
Phase: Landing (LDG)
Nature:Domestic Scheduled Passenger
Departure airport:São Paulo/Campinas-Viracopos International Airport, SP (VCP/SBKP), Brazil
Destination airport:Curitiba-Afonso Pena International Airport, PR (CWB/SBCT), Brazil
Flightnumber: 310
Narrative:
Flight 310 arrived at Curitiba following a flight from Rio de Janeiro and São Paulo. Instrument meteorological conditions existed, with a cloud base at 300 feet. The Embraer made a heavy landing on runway 15 causing extensive structural damage. The crew managed to steer the aircraft onto taxiway India; an emergency evacuation was then ordered.
FDR data shows that engine power had been reduced significantly during the last 11 seconds of flight.

Probable Cause:

CONCLUSÃO:
Fator Humano - Aspecto Psicológico - Contribuiu.
Houve participação de fatores, com características próprias, que ocasionaram falhas de atenção, julgamento e avaliação perceptual de distâncias e temporalidade.
A deficiência qualitativa de treinamento, a falta do gerenciamento dos recursos de cabine e o baixo alerta situacional foram fatores contribuintes significativos para o acidente.

Fator Operacional
(1) Deficiente Instrução - Contribuiu
O PF atuou deficientemente no emprego da correta técnica de pilotagem na combinação dos parâmetros Velocidade x Razão de Descida.
(2) Deficiente Supervisão - Contribuiu
O instrutor designado pela empresa para supervisionar a aquisição de experiência operacional em rota não havia recebido instrução específica para o desempenho dessa tarefa. Faltou supervisão a nível técnico e operacional.
(3) Pouca Experiência de Vôo na Aeronave - Contribuiu
O PF possuía boa experiência de vôo, mas não neste tipo de aeronave. Encontrava-se na fase de aquisição de experiência operacional em rota. A ação inadequada foi decorrente também da pouca experiência na aeronave e na circunstância da operação, que requeria um correção rápida próxima ao solo.
(4) Deficiente Coordenação de Cabine - Contribuiu
Os pilotos não utilizaram adequadamente os recursos disponíveis na cabine para a correta operação da aeronave. O PF não efetuou as correções necessárias para modificar a trajetória da aeronave, o que era sua atribuição. O instrutor (PNF), por sua vez, não corrigiu ou interferiu no vôo do PF de forma eficaz, o que seria sua responsabilidade já que era supervisor da operação.
Os pilotos não observaram, ainda, o procedimento técnico-operacional previsto no manual de Operações de Vôo (MOV), no que diz respeito ao aviso do GPWS. A tripulação não atentou que o aviso determinava uma condição insegura próxima ao toque.
Ficou caracterizado um ineficaz cumprimento das tarefas afetas a cada tripulante, além da não observância das normas operacionais.
(5) Influência do Meio Ambiente - Contribuiu
Na aproximação IMC feita, o PF variou os parâmetros, permanecendo alto na rampa. Ao atingir condições visuais, o PF aumentou a razão de descida da aeronave. O PNF, preocupado em localizar a pista, não considerou uma correção inadequada do PF.
(6) Deficiente Aplicação de Comando - Contribuiu
O PF, com a intenção de reduzir a razão de descida, não aplicou corretamente, em amplitude e a tempo, a potência disponível nos motores.
Próximo ao toque, o PF aumentou o ângulo de "pitch", tentando diminuir a razão de descida. Considerando a baixa altura (aproximadamente 80 ft) e a potência dos motores (IDLE), a aeronave continuou com uma alta razão de descida (aproximadamente 1.800 ft/min), sem que a ação tomada pelo PF alterasse a sua trajetória. O PNF não interferiu na aplicação dos comandos. Houve, portanto, uso inadequado dos comandos da aeronave por parte dos tripulantes, em condições para os quais estavam habilitados.
(7) Deficiente Julgamento - Contribuiu
O PF, mesmo sendo alertado pelo PNF quanto à baixa velocidade e à alta razão de descida, julgou estar aplicando uma correção adequada, contudo manteve a aeronave em uma performance incompatível para o pouso.
O PNF, apesar de possuir experiência de vôo e na aeronave, demonstrou desconhecimento dos seus limites no que tange o ponto de irreversibilidade de uma situação insegura.
O PNF limitou-se em alertar o PF sobre a situação, não o orientou sobre a maneira correta de efetuar as correções.
O PNF superestimou a capacidade do PF e não assumiu ou tentou assumir os controles.
(8) Outros Aspectos Operacionais - Indeterminado
Os pilotos não tinham conhecimento da razão máxima de descida durante o toque para a qual a aeronave foi certificada, tampouco tinham conhecimento da variação dessa razão com relação ao peso.
A disponibilidade do piloto automático até a MDA poderia ter minimizado o desvio de rampa observado.

Classification:

Sources:
» CENIPA - Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos


Photos

Add your photo of this accident or aircraft

Map
This map shows the airport of departure and the intended destination of the flight. The line between the airports does not display the exact flight path.
Distance from São Paulo/Campinas-Viracopos International Airport, SP to Curitiba-Afonso Pena International Airport, PR as the crow flies is 347 km (217 miles).

languages: languages

Share